quinta-feira, 24 de março de 2011

Artigo Espaço Kiwi - Há pilula Ideal?

Bom dia a todas,

Esta semana abordaremos novos temas de grande utilidade feminina, resolvêmos dedicar-nos  mais nestes dias à saúde intima feminina. Caso tenham algum tópico que gostariam que abordassemos poderão deixar as vossas sugestões no nosso email biju.kiwi.rouge@gmail.com.  


Caso tenham interesse em receber todas as nossas novidades, seja de conselhos e dicas, seja de promoções e passatempos, ou mesmo para terem direito aos descontos e ofertas nossas campanhas diárias e semanais aconselhamos que subscrevam com o vosso email na caixa em baixo.


Enter your email address:
Delivered by FeedBurner








Conselho saúde-beleza
Há pílula ideal?

Hoje resolvemos esclarecer todas as senhoras, que tomam a pilula e as que não tomam porque por algum motivo sentiram efeitos secundários e problemas de saúde, explicando o porquê de isso acontecer.

A descoberta da pílula, sem dúvida, proporcionou uma mudança radical no comportamento e no estilo de vida da mulher, permitindo-lhe planear a quantidade de filhos e o momento de tê-los, além de possibilitar a sua inserção no mercado de trabalho e em atividades outrora apenas para os homens. Mas nós queremos mais. Queremos anticoncepção aliada a outros benefícios. E é justamente isso que as pílulas modernas fazem. 


Para tal é necessário explicar as diferenças entre as pílulas anticoncepcionais, porque não são todas iguais e não se destinam todas ao mesmo fim e o que resulta numa senhora poderá não resultar em outra.

Então vamos entender melhor essas vantagens. As pílulas mais usadas são as que contêm dois tipos de hormônios: estrogênio e progesterona. A dose do estrogênio e o tipo de progesterona variam e são responsáveis tanto pelos efeitos colaterais quanto pelos efeitos benéficos

O estrogênio é sempre o mesmo: etinilestradiol (EE). As pílulas das nossas mães continham 100 µg de EE e por isso elas ganhavam peso e tinham muitos enjôos. Hoje, com o avanço da ciência, aliada à técnica farmacológica, conseguimos reduzir a dose, mantendo a mesma eficácia contraceptiva. 


Quanto à dose, temos pílulas de média dosagem (35 µg), baixa dosagem (30 e 20 µg) e ultrabaixa dosagem (15 µg). Nem sempre as pílulas de 15 µg são as melhores, pois muitas mulheres apresentam “sangramentos de escape” mais frequentemente com essa dose bem baixinha, e a adaptação pode ser mais demorada. 

É óptimo para adolescentes e para aquelas que tiveram efeitos colaterais com doses habituais (ganho de peso, náuseas, dores de cabeça e dores mamárias). É fácil saber qual a dose que está a tomar na parte de trás da embalagem. É bom ter em atenção também se os efeitos colaterais não serão motivados por algum esquecimento na toma dos comprimidos. Convém seguir as regras após esquecimento para evitar sintomas indesejáveis.


A progesterona é a responsável pela diferença nos efeitos adicionais dos anticoncepcionais. Trata-se de um progestágeno com ação mais androgênica, ou seja, mais similar aos hormônios masculinos. Com isso, em algumas mulheres predispostas, pode haver mais oleosidade da pele, acne e excesso de pêlos; em contrapartida, pode ser uma boa combinação quando se trata de queda da libido pelo uso de pílulas. Tudo isto é claro aliado à vontade temporária que todas nós já sentimos em certos momentos de "matar alguém" e não saber bem porquê!


Logo depois tivemos o desenvolvimento do gestodeno e do desogestrel, presente em uma infinidade de anticoncepcionais de segunda geração.
São ótimas pílulas, bem toleradas pela maioria das mulheresmantendo-se intermediárias em relação à acção androgênicabom controle de peso e boa ação na pele

Um progestágeno mais antigo e presente em várias pílulas é o acetato de ciproterona (Diane 35, Selene, Diclin, Artemidis)Tem uma ação anti-androgênica bem mais potente, por isso é muito usada (mas não exclusivamente) por mulheres com Síndrome dos Ovários Policísticos, onde as manifestações de acne, oleosidade de pele e excesso de pêlos são mais exuberantes.


Como muitas mulheres se queixam de inchaços e ganho de peso com os anticoncepcionais, foi desenvolvida uma progesterona com ação anti-androgênica potente e ação diurética: a drospirenona, presente na Yasminele.
Tem óptima acção na pele com boa manutenção de peso, combate a retenção de liquidos, o acne e a produção sebácia capilar e não reduz a libido. 

Outra novidade no mercado é a progesterona clormadinona, presente no Belara. A proposta é uma boa ação anti-androgênica, com visíveis benefícios na pele sem alteração na libido. Vem associada a 30 µg de EE.Todas as pílulas melhoram a quantidade de fluxo menstrual e cólicas. 

Como vocês podem ver, há pílulas para todos os gostos e tipos de organismo, por isso aquela que serve para a nossa amiga nem sempre é a melhor para nós. Para decidir qual é a melhor opção, discuta com seu médico os aspectos de pele, libido, cólicas, sintomas pré-menstruais e efeitos colaterais e de certo que vai encontrar uma que se adapta muito bem ao seu organismo. Boa sorte!




Deixamos ainda um resumo dos princípios activos de cada uma das pílulas disponíveis no mercado:

1ª Geração 

Nomes comerciais mais conhecidos 

Neovlar - Princípios ativos: Etinil-estradiol + levonorgestrel 

Anfertil - Princípios ativos: Etinil-estradiol + norgestrel 

Características: altas dosagens de estrogênio (etinil-estradiol) que provocavam muitos efeitos colaterais. 

2ª Geração 

Nomes comerciais mais conhecidos 

Microvlar e Nordette - Princípios ativos: Etinil-estradiol + levonorgestrel 

Microdiol - Princípios ativos: Etinil-estradiol + desogestrel 

Gynera e Minulett - Princípios ativos: Etinil-estradiol + gestodeno 

Diane 35 e Selene - Princípios ativos: Etinil-estradiol + ciproterona 

Características: as doses de etinil-estradiol foram significativamente diminuídas e incorporaram-se a essa nova geração os progestogênios desogestrel, ciproterona e gestodeno. 

3ª Geração 

Nomes comerciais mais conhecidos 

Ginesse – Princípios ativos: Etinil-estradiol + gestodeno 

Femina, Malu, Mercilon – Princípios ativos: Etinil-estradiol + desogestrel 
Mínima, Adoless, Minesse, Siblima – Princípios ativos: Etinil-estradiol + gestodeno 

Level – Princípios ativos: Etinil-estradiol + levonorgestrel 

Yasmim – Princípios ativos: Etinil-estradiol + drosperinona 

Características: as dosagens de estrogênios diminuíram ainda mais. Além de algumas formulações manterem os progestogênios da segunda geração – levonorgestrel, gestodeno e desogestrel – a pílula Yasmin incorporou um novo progestogênio: a drosperinona.



Encontraram este e outros artigos disponiveis para leitura no separador espaço kiwi.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Contacto: biju.kiwi.rouge@gmail.com Resposta apenas aos pedidos enviados por e-mail. Segue as nossas campanhas, torna-te fã no facebook por aqui